5 dicas para um benchmarking mais produtivo

Publicado por Glauco Cardoso no dia design

Quando falamos sobre o nosso processo de design de produto, comentamos que o benchmarking é uma etapa fundamental no processo de criação de novos produtos ou funcionalidades aqui na Resultados Digitais. Esta prática permeia quase todos os processos e está explicitada em nosso Culture Code. Sabemos que existem outras pessoas trabalhando em projetos similares aos nossos e não queremos perder tempo reinventando a roda.

Este post dá dicas que irão ajudar você a fazer uma análise eficiente de produtos concorrentes e similares. Ele te ajudará a identificar boas práticas e levantar insights que irão informar suas decisões como projetista.

1. Conheça seus concorrentes e similares

Pode ter certeza: se não existe uma ideia idêntica a sua, existe outra muito parecida! A partir do momento que você tem o problema claro na sua mente, converse com as pessoas e procure entender como o seu público soluciona este problema hoje. Procure saber quais são as empresas e iniciativas que são referência na resolução do problema que você pretende atacar.

2. Utilize os produtos

É simples. Considerando que estamos falando de produtos digitais, basta você utilizar uma conta demo ou trial e experimentar os produtos selecionados. Mas lembre de se colocar no lugar do seu público-alvo! Procure entender como esta solução funciona e busque refletir por que ela funciona.

Um gif animado em que o personagem Indiana Jones observa o Ídolo Sagrado

Faça como Indiana Jones em Os Caçadores da Arca Perdida. Reflita bem sobre seu objeto de estudo. E lembre que tal qual o ocorrido no filme, mesmo com todo seu esforço analítico algo pode dar muito errado - e é por isso que somos ágeis.

3. Defina parâmetros

Após observar algumas soluções você irá começar a perceber elementos comuns. Utilize estes elementos coincidentes como parâmetros para sua análise. Elementos exclusivos relevantes para o usuário também podem ser levantados. Em outra etapa do projeto estes parâmetros podem ser utilizados para avaliar a sua solução em relação à concorrência.

4. Documente suas descobertas

Aqui é move fast and break stuff. Utilize um formato facilmente alterável e se permita errar. Particularmente, gosto bastante de utilizar planilhas no Google Drive para a análise paramétrica e o Skitch para anotar screenshots. Explore rápido os produtos analisados e não se apegue aos detalhes, o maior esforço na compreensão de um problema deve ser em conseguir dados qualificados com os usuários.

Análise paramétrica utilizando o Google Drive

Uma análise paramétrica em que eu buscava entender como a concorrência trabalha o problema da personalização dos emails em marketing digital.

5. Bad designers copy, great designers steal

Sempre existe a armadilha de tentar cortar caminho e replicar as soluções similares sem refletir sobre o problema e testar suas hipóteses. J. J. Garrett, da Adaptive Path e autor do livro “The Elements of User Experience”, chama esta abordagem de design by mimicry. Trata-se de um erro muito comum em que os projetistas utilizam convenções definidas por outros produtos ou por alguma bibliografia sem verificar suas hipóteses com as pessoas que realmente irão utilizar a solução. O benchmarking é um exercício de inspiração, não se apegue as ideias que surgem neste momento.

Concluindo

O objetivo principal do benchmarking é estar consciente do estado do design do problema abordado, ou seja, como o mercado está resolvendo este problema hoje. Estas informações irão possibilitar insights que vão auxiliar no desenvolvimento de uma solução. Lembre-se que as suas decisões não devem se basear nas práticas da concorrência e sim na estratégia do seu produto e no comportamento dos seus usuários.

Curiosidade: segundo esta nota da Wikipedia o termo benchmarking faz alusão às marcas (mark) que os viajantes romanos deixavam nos bancos (bench) de descanço para indicar a que distância estavam de Roma (o seu ponto de referência). Não sei se é verdade, mas me parece uma razão boa o suficiente para ilustrar o post com a pintura que segue.

Godward-In the Days of Sappho-1904

Pintura de Godward (1904) representando a poetisa grega Sappho de Lesbos, exausta após observar suas concorrentes.

Glauco Cardoso

Glauco Cardoso

Designer

Comentários