5 Lições aprendidas no TDC SP 2016

Publicado por Lívia Amorim e Luciano Marcelino no dia dev

The Developers Conference Logo

A Resultados Digitais marcou presença no último The Developer’s Conference 2016 em São Paulo. Apresentamos 18 palestras em 9 trilhas e fomos espectadores de diversas outras. Aqui você irá conhecer 5 lições aprendidas no TDC.

#1 Saia da caixa!

Um ponto bastante comentado no TDC é que precisamos sair da nossa caixa e enxergar o contexto em que estamos envolvidos/as. Por exemplo, enxergar métricas e identificar as principais dores e potenciais do negócio para atuar de forma mais significativa em nosso dia-a-dia.

A gente entende que bons desenvolvedores e desenvolvedoras precisam fazer códigos maravilhosos e otimizados, da mesma forma que grandes designers devem criar soluções incríveis. Mesmo assim, será que estamos colocando esforço na coisa certa? Será que estamos tomando as decisões corretas que impactarão mais positivamente nos objetivos da empresa?

O TDC é completo o suficiente para te ajudar tanto com maneiras de criar soluções incríveis e escrever códigos maravilhosos quanto ferramentas para entender se suas decisões têm o devido impacto ou não.

https://media.giphy.com/media/BmCoTTCJE7d8Q/giphy.gif

#2 Saia da sua trilha preferida também!

Palestras técnicas são legais, até o momento que ficam repetitivas e você não tira tanto proveito delas. É bem comum, vá por nós. Quando isso acontece, basta sair da zona de conforto e entrar em outra trilha!

No último TDC tivemos trilhas de Dinâmicas e Facilitação, Educação, Makers e várias outras mais inusitadas. Mesmo que não seja a sua área, é interessante pensar que todo conhecimento é válido e pode contribuir com a sua especialização. Por exemplo, você pode ser um/a desenvolvedor/a mais completo se souber um pouco mais sobre métodos ágeis ou entender melhor os processos de design thinking.

#3 Visite mais estandes

Os estandes não estão lá apenas para tentar vender algo ou atrair profissionais, eles entregam algo mais. No estande da ThoughtWorks, por exemplo, houve diversas Lightning Talks e os participantes poderiam contribuir com o Tech Radar deles.

A Oracle realizou palestras no seu estande também e transmitiu elas também online. Todas em inglês sobre diversos assuntos. Já no estande da GFT encontramos microcontroladores expostos e um computador ligado a uma TV com demonstração ao vivo. Tudo preparado para conhecermos e nos divertirmos no mundo da internet das coisas.

Visitar os estandes com a mente aberta é uma ótima oportunidade para conhecer gente nova, ver o que as outras empresas estão fazendo por aí e como elas estão fazendo as coisas. Não perca a chance de trocar figurinhas com os profissionais que estão lá justamente para isso.

Estandes no TDC SP 2016

#4 Veja palestras de alto impacto

No TDC você encontra todo tipo de palestra, e muitas delas são incríveis ao ponto de mudar sua forma pensar e de trabalhar. Conheça abaixo algumas palestras que geraram alguns insights para nós.

Mão na massa: Motivação e Desejos Intrínsecos” de Guilherme Flores da Cunha da Motta

Na trilha Management 3.0, o Guilherme apresentou os Moving Motivators como uma ferramenta excelente para entender as motivações de seus/suas liderados/as. A questão é que ele não só apresentou a ferramenta e ensinou a usar, ele aplicou a técnica ao vivo.

Primeiro ele mostrou resultados bons - e outros não tão bons - que já havia experiênciado com os moving motivators. Em seguida convidou todos/as os/as participantes da trilha para elencar suas motivações. Ele assumiu o compromisso de enviar por email depois o compilado de toda a plateia (sem identificar ninguém, é claro) e também a enviar os resultados individuais para aqueles/as que quisessem. Já recebi os resultados e foi muito interessante ver a os dados do pessoal compilados.

Para ver os slides da apresentação clique aqui.

Mutant Testing - um mundo para um X-Testing” de Robson Agapito Correa

Já na trilha de Ruby, uma palestra mais técnica brilhou os olhos dos desenvolvedores que gostam de testes automatizados. Robson mostrou como mutant testing pode ajudar os/as desenvolvedores/as a encontrarem cenários não testados em seu código. O que essa palestra teve de especial? A mentalidade do Robson.

Ele não apresentou a ferramenta como perfeita e nem disse que deve ser usada por todos/as. Robson colocou os prós e contras de utilizar testes de mutação. Levantou, também, práticas que podem tornar o uso desse tipo de testes mais plausível diante das desvantagens. Em suma, ele apresentou uma visão realista e ponderada do assunto, e não utópica e viciada, como se vê em muitas palestras mundo afora.

Para ver os slides da apresentação clique aqui.

#5 Conheça pessoas incríveis

Como diria Bill Nye, “todo mundo que você conhecer saberá de algo que você não sabe”, e isso é ótimo! O TDC tem pessoas de diversas áreas e você pode puxar um papo com elas. Não seja tímido/a, essa é uma das partes mais divertidas do evento!

Converse com aquele/a palestrante top na pausa do café, puxe assunto com os/as coordenadores/as e beba uma cerveja com a galera. É uma excelente oportunidade de trocar experiências e manter contatos profissionais valiosos.

Networking no TDC SP 2016

Lívia Amorim

Lívia Amorim

UI/UX Designer

Luciano Marcelino

Luciano Marcelino

Tech Leader

Comentários